Sun Coral: Cuidados, Alimentação e Fluxo Adequado

Se você está procurando por um coral brilhante que não precisa de muita luz, o Coral Sol será perfeito para o seu aquário. Esse coral é não-fotossintético, o que significa que ele pode obter nutrientes da correnteza da água ao invés de processar a luz como os corais fotossintéticos.

Os Corais Sol não são agressivos e não são muito difíceis de cuidar, então temos certeza que esse guia vai equipá-lo com o conhecimento certo para ter sucesso como dono de coral. Vamos começar!

Tabela de conteúdos

Resumo da Espécie

O Coral Sol é um coral pétreo de pólipo grande (LPS) que faz parte da espécie Tubastraea. Ele também é conhecido como Coral Tube, Coral Girassol, Coral Sol Laranja e Pólipos Sol. Esse coral faz parte da família Dendrophylliidae e do gênero Tubastraea.

A origem desse lindo coral inclui o Indo-Pacífico, especificamente as Ilhas Salomão, a Grande Barreira de Corais, Tonga e Fiji. Eles geralmente são encontrados em lugares sombreados, como cavernas e frestas.

Aparência

Com seu corpo laranja vibrante e tentáculos amarelos fluindo, é fácil ver por que essa espécie é conhecida como Coral Sol. Você pode encontrar a boca do coral no centro de seu corpo, e seus tentáculos em forma de tubo geralmente estão fechados, a não ser que esteja na hora de se alimentar ou seja noite.

Espécies Populares de Coral Sol

Existem vários tipos de espécies Tubastraea, e cada uma tem suas próprias características e traços físicos. Por exemplo, você pode encontrar esses corais em cores que vão do laranja ao preto. Ao decidir qual coral adicionar ao seu aquário, é útil aprender sobre as quatro espécies populares de Coral Sol.

Coral Sol Laranja (Tubastraea faulkneri)

Você pode encontrar esse coral principalmente no Oceano Índico-Pacífico, incluindo a Austrália, as Filipinas e as Ilhas Galápagos. Esse coral se desenvolve bem em lugares com nutrientes adequados e alto fluxo de água, e não é um construtor natural de recifes.

Os nomes comuns dessa espécie incluem Coral Pólipo Laranja e Copa Dourada. Possui um esquema de cores amarelo e laranja, e os corallitos estão ligados pela base sem nenhum espaço entre os pólipos.

Tubastraea tagusensis

Essa espécie foi originalmente encontrada nas Ilhas Galápagos e, graças ao seu comportamento invasivo, agora pode ser encontrada ao longo da costa atlântica da América do Sul.

O Tubastraea tagusensis não requer um substrato especial ou luz solar abundante para crescer, e essa espécie não constrói recifes. Ele também pode alterar outras estruturas para atender às suas necessidades, o que é por que é fácil para esse coral invadir várias costas. Ao contrário de outros Corais Sol, o Tubastraea tagusensis apresenta um corpo branco. Um traço físico semelhante são os tentáculos em forma de tubo.

Queen Triggerfish: Dieta, Reprodução e DetalhesQueen Triggerfish: Dieta, Reprodução e Detalhes

Copa coral laranja (Tubastraea coccinea)

Semelhante a outros Corais Sol, a Copa Coral Laranja apresenta um corpo amarelo e laranja com tentáculos em forma de tubo.

    Esse coral também é outra espécie não construtora de recifes encontrada no Indo-Pacífico, no Golfo do México, no Mar do Caribe e na África Ocidental. Embora esse coral geralmente assuma espaços e estruturas artificiais não utilizados por outros corais, ele tem um comportamento invasivo em relação a outros invertebrados bentônicos.

    Coral sol preto (Tubastraea micranthus)

    O Coral Sol Preto é verde escuro com colônias ramificadas que crescem verticalmente, e sua aparência tende a variar por área. Por exemplo, esse coral é maior e mais forte perto das Filipinas do que os Corais Sol Pretos encontrados em outras regiões.

    Ao contrário de outras espécies desta lista, o Tubastraea micranthus é um coral construtor de recifes. Ele também tem grande força e tende a crescer mais rápido do que outros corais. O Tubastraea micranthus pode ser encontrado em áreas que vão do Mar Vermelho a Fiji, e também houve avistamentos na Coreia. Este é um coral invasivo que até chegou a Mississippi.

    Cuidados com o Coral Sol

    O nível de cuidado necessário para o seu Coral Sol é considerado moderado. Eles são mais adequados para aquaristas intermediários e experientes. O maior desafio é provavelmente criar e manter uma rotina de alimentação, pois ele pode retrair seus pólipos e parar de comer.

    Tamanho do Aquário

    Um aquário de 10 galões é o tamanho mínimo recomendado para o seu Coral Sol, para que eles tenham bastante espaço para crescer. Se você estiver planejando abrigar várias colônias, talvez queira aumentar o tamanho do aquário para garantir que suas espécies não se perturbem.

    Parâmetros da Água

    Independentemente do tipo de espécie Tubastraea que você escolher para o seu aquário, manter parâmetros de água precisos é essencial para a sobrevivência do seu coral.

    Temperatura da água: 77-80 graus Fahrenheit

    Níveis de pH: 8,1-8,4

    Dureza da água: 8-12

    Dwarf Lionfish: Dieta, Companheiros e Tamanho do TanqueDwarf Lionfish: Dieta, Companheiros e Tamanho do Tanque

    Gravidade específica: 1,023-1,025

    Cálcio: 425 ppm

    Magnésio: 1200-1350 ppm

    Fosfato: Menos de 0,03 ppm.

    Amônia: 0 ppm

    Nitrito: 0 ppm

    Nitrato: 0 ppm

    Um Coral Sol mostrando suas cores vibrantes

    Configuração do Aquário

    Não é recomendado adicionar um substrato arenoso ao aquário, pois poderia danificar o tecido e os tentáculos do seu coral. Uma superfície plana ou caverna rochosa é ideal para o seu coral, ou você pode imitar seu habitat natural com um penhasco ou cornija rochosa.

    Posicionamento

    Os Corais Sol não são agressivos, então onde você os posiciona dependerá de outras espécies. Por exemplo, os Corais Ninho de Pássaro crescem sobre corais que são colocados a menos de cinco centímetros do seu espaço, então certifique-se que sempre haja distância suficiente entre eles.

    Considerando que os Corais Sol são encontrados em cavernas, colocá-los na parte inferior do aquário com pouca luz estará bom. Se você estiver colocando uma camada de areia no aquário para outras espécies, pode proteger o seu coral elevando-o em uma superfície plana ou permitindo que ele fique de cabeça para baixo. Isso os manterá seguros de peixes que estão constantemente peneirando e cavando, como o Góbio Diamante.

    Coral Cérebro Favia: Alimentação, Crescimento e CompanheirosCoral Cérebro Favia: Alimentação, Crescimento e Companheiros

    Iluminação

    Este coral não requer muita luz porque é não-fotossintético e não é de um habitat com muita luz. Alguns aquaristas jogam pelo seguro mantendo seus corais sol em um ambiente de pouca luz, sob 75 PAR. Dessa forma, o coral não fica chocado com tanta luz. Cavernas, frestas e saliências são ideais se você precisar adicionar outras espécies que requerem mais iluminação.

    Filtração / Fluxo de água

    Um fluxo moderado de 20 a 40 vezes a renovação é ideal para o seu aquário, pois canaliza alimentos e oxigênio em direção ao coral. Isso significa que se você tiver um pequeno aquário de 10 galões, então precisará de uma bomba e filtro com taxas de fluxo entre 200 e 400 gph.

    Nota do Autor: Fornecer um fluxo suficiente também remove os resíduos antes que eles possam se acumular no tecido do seu coral e causar um ambiente insalubre.

    Aclimatação

    Ao introduzir o seu Coral Sol em seu aquário, ele pode retrair seus pólipos. É importante ter paciência e continuar com as alimentações regulares. Eventualmente, o seu coral abrirá seus pólipos e começará a comer. Diminuir a luz ou colocar o seu coral em uma área escura também pode ajudá-lo a se acostumar com o novo ambiente.

    Crescimento / Tamanho

    O Coral Sol cresce mais rápido que alguns corais, e as colônias podem crescer de 1,18 a 1,6 polegadas por ano. Quando totalmente crescido, a altura do coral atinge até 3,15 polegadas, e as colônias podem chegar a 6 polegadas de diâmetro.

    Os corallitos podem crescer até 0,5 polegadas de largura e 2 polegadas de altura. À medida que as colônias de Coral Sol crescem, elas podem criar comunidades adicionais.

    Alimentação

    Esses corais dependem da captura de seu próprio alimento, em vez de obter energia de fontes fotossintéticas, então é recomendado alimentar o seu coral sol pelo menos três a cinco vezes por semana para garantir que eles obtenham os nutrientes de que precisam. O seu coral também pode preferir comer à noite, quando os tentáculos estão estendidos.

    Os corais sol gostam de alimentos carnudos, como camarão salmoura, camarão mísidio e frutos do mar picados. Você também pode suplementar a dieta deles com aminoácidos e vitaminas feitas para corais.

    Nota do Autor: Use uma seringa de peru ou uma ferramenta especial projetada para alimentação direcionada para atirar a comida em direção à boca de cada pólipo. Seu coral usa seus tentáculos para capturar e comer seu alimento, o que é uma visão incrível para qualquer aquarista.

    Compatibilidade

    Ao adicionar companheiros de aquário ao aquário do seu Coral Sol, é melhor escolher corais não-fotossintéticos. Dessa forma, você não precisa se preocupar com condições ou alimentações contrastantes.

    • Esponjas em formato de bola
    • Coral Chili
    • Leques do Mar
    • Coral Árvore

    Claro, você deseja garantir que cada colônia tenha espaço suficiente para crescer sem tentar invadir outras comunidades.

    Também é necessário evitar adicionar corais fotossintéticos ou muito agressivos ao aquário. Corais fotossintéticos requerem iluminação e companheiros de aquário diferentes, enquanto corais agressivos como os abaixo podem atacar o seu Coral Sol.

    • Coral galaxea
    • Pólipos verdes estrelados
    • Coral placa de tentáculo longo
    • Coral couro dedo

    Propagação e Fragmentação

    Os Corais Sol podem se reproduzir criando e fixando larvas móveis chamadas plânulas em rochas, ou podem criar e liberar pequenas cópias de si mesmos.

    Se você quiser encorajar a propagação por conta própria, sempre pode fragmentar o seu coral. É vital ter cuidado ao fragmentar o seu coral, razão pela qual criamos o guia passo a passo abaixo.

    1. Use uma ferramenta afiada, como uma serra de azulejo ou uma faca de artesanato, para remover o pólipo preferido do coral. Você está cortando através do esqueleto e pode atingir alguns tecidos, então é normal que o seu coral vaze algum líquido.

    2. Em seguida, fixe o seu fragmento recém-cortado envolvendo-o em uma malha.

    3. Coloque o seu novo fragmento no local designado no seu aquário.

    4. Continue com as alimentações regulares à medida que o seu novo coral cresce ao longo de várias semanas.

    Nota do Autor: Ao cortar o seu coral, certifique-se de minimizar os danos aos pólipos e fixe adequadamente os fragmentos no seu aquário, caso contrário, eles podem flutuar com o fluxo.

    Conclusão

    O Coral Sol é uma ótima adição a muitos aquários, especialmente aqueles com iluminação baixa, e dado o seu comportamento não agressivo, encontrar os companheiros de tanque certos não deve ser um problema. Apenas lembre-se de ter paciência ao alimentar o seu coral, pois isso pode ficar um pouco complicado.

    Se você for compartilhar fotos coloridas do seu coral sol nas redes sociais, não se esqueça de marcar a gente no Facebook e, se você é fã de corais, tente os nossos outros Guias de Cuidados com Corais.

    Maria Oliveira

    Maria é uma entusiasta da aquariofilia, dedicando seu tempo livre ao cuidado de seus aquários meticulosamente montados. Apreciadora da tranquilidade que seus peixes proporcionam, Maria mergulha profundamente no estudo das diferentes espécies, tornando-se uma referência em seu círculo social para tudo que diz respeito a esse fascinante hobby. Com paciência e dedicação, ela cultiva não apenas belos ambientes aquáticos, mas também um espaço de serenidade e beleza em sua própria vida.

    Conteúdo relacionado

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Go up

    Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar usando este site, assumiremos que você concorda com isso. Mais informações