Jungle Val: O Guia Completo para Cuidados e Plantio

Val da Selva é uma fantástica planta de aquário que pode adicionar um elemento totalmente novo ao seu tanque. Ela é benéfica para a água, de baixa manutenção e bonita!

Este guia cobrirá tudo o que você precisa saber sobre o cuidado com a Val da Selva, para que você tenha certeza de que sua planta prosperará.

Tabela de conteúdos

Resumo da Espécie

A Val da Selva (Vallisneria americana) é uma linda espécie de planta aquática que também é conhecida por muitos outros nomes. Você pode vê-la sendo vendida como Grama Aquática, Aipo d'Água ou Grama Fitada. Qualquer que seja o nome, essa planta é uma boa adição a qualquer aquário de água doce.

Duas plantas de Val da Selva em um aquário de água doce

Ela é nativa das Américas e pertence à extensa família Hydrocharitaceae. Apesar de sua prevalência na América do Norte, Central e do Sul, a planta também cresce naturalmente na Austrália e Ásia. Na natureza, essas plantas crescem em riachos e lagos de água parada.

Resistente e fácil de cuidar, a Val da Selva é uma excelente escolha para iniciantes. Na verdade, esta planta foi uma das primeiras a ser usada em aquários de água doce caseiros. Ela tem uma longa história no comércio e continua a ser uma escolha confiável para aquaristas de todos os níveis de habilidade.

Os Benefícios de Tê-la no Seu Tanque

Como muitas plantas vivas, a Val da Selva pode fazer muito para melhorar seu tanque de água doce. Não apenas melhora a estética com sua coloração vívida, mas a planta também pode melhorar as condições da água.

As plantas vivas liberam oxigênio na água durante o processo de fotossíntese. Isso cria um ambiente mais rico em oxigênio para os seus peixes. 

Além disso, a planta pode absorver poluentes e químicos indesejados. Por exemplo, as plantas podem absorver amônia e usá-la como fonte de nitrogênio. A amônia é um subproduto dos dejetos dos peixes que se torna fatal em altas concentrações.

Plantas como a Val da Selva podem manter os níveis de amônia agradáveis ​​e gerenciáveis, o que tira uma carga de você.

Finalmente, a Val da Selva pode fazer maravilhas para melhorar a qualidade de vida dos habitantes do tanque. A maioria dos peixes e invertebrados adora viver entre a vegetação. Isso oferece alguma estimulação e também cobertura.

Ruby Tetra 101: Cuidados, Tamanho do Tanque e AlimentaçãoRuby Tetra 101: Cuidados, Tamanho do Tanque e Alimentação

Nota do Autor: A Val da Selva é uma planta de aquário particularmente útil para peixes mais agitados. Ela é surpreendentemente resistente e pode suportar brincadeiras pesadas (mais sobre isso mais tarde).

Aparência

A Val da Selva é mais simples quando se trata de aparência. Ela não tem cores complexas ou flores extravagantes. Mas não se engane, essa planta ainda é de tirar o fôlego.

A planta se parece muito com grama marinha. Folhas finas irrompem da base da planta e se estendem pela coluna de água. As folhas podem crescer muito longas e tocar a superfície da água.

Mesmo com pouco fluxo de água, a planta pode balançar com a corrente. Cria um denso mar de movimento que é lindo por si só. A adição de peixes brincalhões só realça a beleza da planta.

Tamanho e Taxa de Crescimento

Na natureza, as plantas Val da Selva podem crescer até seis pés de altura! Elas geralmente crescem em águas rasas, por isso não é incomum ver as folhas flutuando de lado com a corrente. Em águas mais profundas, a planta fica em pé e ocupa a maior parte da coluna de água.

As plantas cativas não ficam tão grandes, mas certamente tentarão. A Val da Selva é de crescimento rápido e rapidamente alcançará o nível da superfície. 

A planta não é forte o suficiente para crescer fora da água. Mesmo que fosse, as folhas não sobreviveriam muito tempo sem estar submersas.

Como resultado, a maioria das plantas naturalmente para de crescer depois de atingir a superfície. Se houver espaço suficiente, algumas continuarão crescendo. O excesso simplesmente flutuará na superfície como um cobertor.

Nota do Autor: Como a maioria das plantas, a taxa de crescimento da Val da Selva depende inteiramente das condições da água e da iluminação. Em água ácida ou macia, tende a crescer mais lentamente.

Cuidados com a Val da Selva

Essas plantas são uma das mais fáceis no comércio de aquários! Uma vez estabelecidas, elas não precisam de muito para prosperar.

Pleco Vampiro L-240: Guia Completo para CuidadosPleco Vampiro L-240: Guia Completo para Cuidados

Dito isto, você tem que começá-las da maneira correta para ver o sucesso. Aqui estão algumas diretrizes básicas de cuidados com a Val da Selva para ajudar essas plantas a florescer.

Tamanho do Aquário

A primeira coisa a considerar é o tamanho do aquário. Graças ao potencial de tamanho massivo das Vals da Selva, maior é melhor.

Na extremidade inferior do espectro de volume, os aquaristas geralmente recomendam obter um aquário de 20 a 30 galões. Esse é o menor que você pode ir!

Se você tentar cultivar essas plantas em algo menor, não terá muito espaço para nenhum peixe. A Val da Selva rapidamente supera pequenos aquários, então é bom ir com algo grande!

Nota do Autor: O cuidado com a Val da Selva geralmente é ainda mais fácil se você mantê-la em um tanque externo. Há um pouco menos de manutenção e poda necessárias, você tem muito espaço para trabalhar e a natureza resistente dessa planta pode fazer a maior parte do trabalho.

Parâmetros da Água

Quando se trata de cuidados com a Val da Selva, a melhor maneira de apoiar essa planta de água doce é imitar os parâmetros de água de seu habitat natural. Felizmente, a distribuição selvagem da Val da Selva é bastante vasta. Como resultado, a planta pode crescer em uma ampla variedade de ambientes.

Ela prefere águas mornas que tendem para o lado alcalino da escala de pH. A planta também gosta de condições de água moderadamente duras e de baixo fluxo. Na maioria dos casos, suas condições médias típicas de aquário de água doce farão bem.

  • Temperatura da água: 18 a 28 graus Celsius
  • Níveis de pH: 6,0 a 9,0 (levemente alcalino é o melhor)
  • Dureza da água: 8 a 12 dGH

Iluminação

A Val da Selva cresce em profundidades de 3 metros ou menos. Ela fica bem perto da superfície, resultando em alta exposição à luz.

É melhor replicar essas condições no seu aquário. Forneça iluminação intensa com lâmpadas especializadas para plantas ou LEDs brilhantes. A planta deve ter exposição à luz por oito a dez horas todos os dias.

Se você não puder fornecer muita luz, a Val da Selva se adaptará a iluminação moderada. No entanto, ela pode experimentar um crescimento mais lento como resultado disso. 

Ludwigia Repens: Guia para Cuidados com Esta Planta de AquárioLudwigia Repens: Guia para Cuidados com Esta Planta de Aquário

A falta de luz pode levar a uma morte lenta. Esta não é uma planta de aquário de baixa luminosidade! A Val da Selva precisa de exposição à luz para realizar a fotossíntese adequadamente. Sem isso, a Val da Selva não pode fabricar alimentos e combustível para sobreviver.

Nota do Autor: Iluminação inadequada resulta em descoloração e murcha. Se você notar esses problemas, ajuste sua configuração de iluminação o mais rapidamente possível para promover a recuperação.

Substrato

O melhor substrato para a Val da Selva é cascalho ou areia. Areia é mais parecido com o que essas plantas usam na natureza, mas elas se adaptam rapidamente a pedras pequenas ou seixos.

O interessante sobre a Val da Selva é que ela tem um sistema de raízes extenso e robusto. As raízes permanecem firmemente enraizadas. Pouco depois do plantio, os pequenos rizomas se espalham horizontalmente e se espalham sob o substrato. Eles ficam mais grossos à medida que a planta envelhece, adicionando ainda mais força.

As raízes fornecem muita segurança, então você não precisa se preocupar com o arrancamento acidental ou danos.

Como Plantar Val da Selva

Plantar Val da Selva é bastante simples. 

Geralmente, as lojas vendem essas plantas como propagações nuas ou em vasos. Seja qual for o caso, plantá-las em seu aquário de água doce é simples. Basta remover a planta do meio em que ela veio e fixá-la no substrato.

Graças ao seu potencial de crescimento, a Val da Selva se sai melhor como planta de fundo. Posicione-a na parte de trás do aquário, onde ela pode crescer o máximo que puder.

Close up of a Jungle Val aquarium plant

Certifique-se de que a coroa esteja acima do substrato. A coroa é a base da planta. Se enterrado sob o substrato, a planta largará suas folhas e eventualmente morrerá.

Vals da Selva às vezes passam por um período de "derretimento". É um fenômeno único que muitos aquaristas iniciantes confundem com morte.

Quando "derrete", algumas das folhas mais fracas da planta cairão. Não se preocupe!

Este processo é completamente normal. É a maneira da planta de se ajustar às novas condições. A liberação de folhas antigas é como livrar-se de peso morto. Sem a bagagem extra, ela pode concentrar sua energia na produção de novos brotos.

Nota do Autor: Não demora muito para que as raízes se estabeleçam. Uma vez que as raízes se espalham, o cuidado com a Val da Selva se torna muito mais fácil. Você não precisa se preocupar com injeções de CO2, fertilizantes ou quaisquer outras técnicas complexas de plantio.

Poda e Apara

A poda é um ponto de contenda na comunidade de aquaristas, mas o consenso geral é que você nunca deve podar ou aparar uma Val da Selva. 

Alguns entusiastas argumentam que o sentimento é excessivamente cauteloso. Você pode ouvir pessoas falando sobre cortar a planta sem experimentar problemas.

Embora haja dúvidas de que alguns tiveram sucesso com a poda, os riscos potenciais podem fazê-lo reconsiderar! A poda muitas vezes danifica a folhagem e faz com que as folhas apodreçam. Com folhas desse tamanho, mesmo um pouco de apodrecimento pode causar estragos nas condições do tanque.

As folhas em decomposição vão azedar a água e colocar em risco a saúde dos seus peixes.

Nota do Autor: Se a poda for absolutamente necessária, use tesouras extremamente afiadas. Dedique algum tempo para amolar bem as tesouras para garantir que você está fazendo um corte limpo. Um corte preciso reduzirá as chances de apodrecimento e infecção.

A boa notícia é que a poda geralmente não é necessária. Como mencionado anteriormente, a maioria das plantas se adaptará à altura e ao volume do seu tanque. Poucas atingirão seu potencial máximo porque lhes falta espaço para fazer isso.

Companheiros de Tanque

Quando se trata de companheiros de tanque, você tem muitas opções a considerar! A Val da Selva é a planta de tanque comunitário por excelência. Não só é linda e divertida para os peixes nadarem, mas também é surpreendentemente resistente.

Apesar da aparência um pouco franzina dessas plantas semelhantes a capim, o sistema de raízes a torna uma forte candidata para peixes mais agitados. Normalmente, plantas vivas são inadequadas para espécies selvagens, pois tendem a desenraizá-las a qualquer oportunidade.

Esses peixes podem tentar esse comportamento com a Val da Selva, mas a maioria não vai a lugar algum! Lembre-se, o sistema de raízes dessa planta é expansivo e seguro. Desde que a Val da Selva esteja bem estabelecida, ela não terá problemas para permanecer ereta mesmo quando emparelhada com espécies de peixes mais fortes!

Sinta-se à vontade para colocá-los no tanque com ciclídeos agressivos ou herbívoros conhecidos. Claro, você também pode colocá-los em aquários pacíficos com o likes de guppy fish, molly fish, e mais.

Eles também se saem bem com invertebrados como:

Você não pode errar com a Val da Selva. Essa planta até se sai bem em tanques salobros com um pouco de salinidade. É uma escolha verdadeiramente universal que pode complementar a maioria dos aquários e criaturas aquáticas.

Propagação

As plantas de Val da Selva se reproduzem de algumas maneiras diferentes.

Na natureza, a planta gera uma flor feminina que flutua até a superfície. As flores masculinas são liberadas da planta abaixo. As flores femininas capturam as masculinas para polinização na superfície da água.

Se você tiver um tanque externo, talvez tenha a sorte de observar esse ciclo. No entanto, raramente ocorre em um ambiente de aquário.

A maioria das Vals da Selva irá se reproduzir em aquários de água doce através de corredores.

A planta lança corredores sob o substrato. Eventualmente, eles irão enraizar e produzir uma nova planta não muito longe da principal. Você pode separar essa propagação e realocá-la.

Mas antes de fazer isso, dê a eles algum tempo para se desenvolverem. Espere até que as folhas cresçam um pouco antes de separar a propagação da planta-mãe. Caso contrário, ela morrerá antes de ter a chance de se estabelecer.

Conclusão

O cuidado com a Val da Selva é tão simples quanto possível. A natureza resistente e de baixa manutenção dessa planta a torna uma ótima escolha para iniciantes e experientes.

Avise-nos se você tiver alguma dúvida sobre essa planta que acha que podemos ajudá-lo. Estamos sempre felizes em dar feedback e conselhos aos nossos leitores.

Ana Santos

Ana cultivou um fascínio por aquariofilia desde pequena. Com um olhar atento e uma paixão por peixes, ela criou seu próprio santuário aquático em casa. Hoje, Ana é uma referência na comunidade de aquariofilia brasileira, compartilhando seu conhecimento e promovendo a preservação dos ecossistemas aquáticos através de workshops e palestras. Com dedicação e amor, Ana transformou sua paixão em uma jornada de aprendizado e descobertas constantes no mundo subaquático.

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go up

Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar usando este site, assumiremos que você concorda com isso. Mais informações